#22 - Tom Zé - Estudando o Samba (1976)

Feb 21, 2014
#22 - Tom Zé - Estudando o Samba (1976)

LadoA

“Pra todos os gostos e todos os olhos”. O primeiro maniçoba na sauna curitibana. Douglas Lopes, o Grande Boêmio. Frequentador noturno de Tom Zé. O grande desafinado, inusitado e filósofo Tom Zé. O mais ousado Tropicalista, o menos reconhecido. A polêmica em forma de baiano. O tribunal do Feicebuqui e a coca-cola. O Aikidô musical- Tom Zé, o Steven Seagal da música. A quebra do dualismo. A origem em Irará, a expulsão da escola de música e a partida para os estudos em Salvador. O minimalismo em “A felicidade”. Os 130 anos de Nivaldo confirmados pelo Carbono 14. A metáfora da bossa nova: Conhecer a Bossa Nova e a namorada de três “orgãos do prazer e reprodução feminino” (tradução livre formal). Os conceitos musicais avançados de “Tô Ficando Atoladinha” - Uma verdadeira revolução histórico-musical. A isenção de preconceitos. A humildade de Tom Zé: as metas e os celulares. “Tô”, a diferença entre a confusão e a profundidade no paradoxo. Sonhos, caixas, tesouros e o enriquecimento da família de Tom Zé. Sorte e honestidade. O caminho autêntico do tropicalismo de Tom Zé e sua auto-ultrapassagem. Apresentador de Divino Maravilhoso. Ganhador do Festival de 1968. O sonho de tocar na rodoviária. A união do popular e o erudito.

LadoB

A redescoberta por David Byrne do Talking Heads: A venda de disco por engano e a mudança no destino. O estranhamento pelo desconhecimento dos brasileiros. Steve Jobs lança a Apple. Serge Gainsbourg. Operação Cajueiro. Tortura e prisão. Museu Oscar Niermeyer. Joana Prado. Wagner Moura. Simony. Agatha Cristie. Juscelino Jubischek. Mao Tse Tung. A propaganda do guaraná Taí. O lapso de memória de Augusto Fontes. A falsa ideologia. A origem da capa de “Todos os Olhos”. O debate de 2 meses. Olho de vidro, garota-de-programa, orifício, censura e arte. O museu do olho foi inspirado em Tom Zé? “Ein” e o hino à tosquice. “Toc” e sua revolução segundo um dos maestros mais respeitados no mundo. A quebra do tempo-relógio: o tempo quadrimensional. O respeito no mundo erudito. O 35 disco mais importante segundo a Rolling Stone. A filosofia versus a arte, os caminhos da elucidação. Irará: a extensão da idade média. A perspectiva grega-aristotélica e a contrapartida da cultura oral em Tom Zé. A legitimidade da origem de Tom Zé e a possibilidade pelos “analfatotéles”.


Comentários